Algo na sonoridade da língua

Há três anos, recém chegados à Polônia, um polonês interrompeu nossa conversa para perguntar se estávamos falando holandês. Em outras situações semelhantes, nos perguntaram se era russo — se não me engano, na Alemanha e nos EUA. E acho que também já aconteceu de um russo achar que falávamos alemão.

Neste cenário, falamos em três ramos de línguas:

  • Itálicas, ramo do qual o português faz parte;
  • Eslavas, compreendendo o russo e o polonês;
  • Germânicas, como as línguas holandesa, alemã e inglesa.

O objeto de análise é o português, e este soou como uma língua germânica a alguém de língua eslava, e soou como uma língua eslava para alguém de língua germânica.

Me pergunto o que isto significa. Quê correlações podem ser feitas? Por exemplo, o mundo é muito familiarizado com a língua espanhola. Na Polônia, as rádios tocam música em polonês, inglês e espanhol em igual proporção, logo, os poloneses sabem como soa o espanhol. Nos EUA o espanhol também é comum. Não sei dizer sobre o quão natural soa o espanhol aos alemães, mas resta a pergunta: por que o português, do mesmo ramo linguístico X ao qual pertence o espanhol, língua amplamente difundida, ocasionalmente é confundido por nativos do ramo Y com alguma língua do ramo Z?

Publicado em
Categorizado como Variados

Por Lu

Uma pessoa incomodativa.

Deixar um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s