Coronavírus na Polônia

Vou contar o que tem acontecido na Polônia em função do coronavírus mais ou menos segundo o que lembro, pois não vou atrás dos números exatos — seria muita pesquisa pra corroborar. Mas posso dizer que o que aqui relato é razoavelmente confiável.

No fim de semana do dia 7 de março, já não se encontrava mais álcool gel. Quarta-feira, dia 11, o governo polonês mandou fechar as escolas e universidades. Empresas começaram a implementar o home office. A orientação era ficar em casa. Tão logo interrompidas as atividades nas universidades, os supermercados foram tomados por multidões. Ao fim do dia, as prateleiras estavam desfalcadas. Era impossível comprar massa, farinha, água, papel higiênico e sabonete. As conservas e enlatados também estavam em baixa. No dia seguinte, não se achava mais queijo e batata, mas era possível encontrar alguns pacotes de papel higiênico por aí.

Os produtos estão sendo repostos, mas a demanda é alta. Todos estão fazendo estoque, priorizando não perecíveis e produtos de higiêne. Uma academia de ginástica pediu no facebook que seus clientes parassem de roubar papel higiênico. Máscaras não se encontram mais, e têm sido artigo em falta nos hospitais, deixando os profissionais da saúde a mercê.

Entre sexta e quinta-feira morreu o primeiro infectado com coronavírus na Polônia. Tendo algo por volta de 60 contaminados confirmados e 1 morto, a Polônia fechou as portas. Foi decretado o fechamento de lojas em shoppings, de cinemas, restaurantes podem apenas fazer delivery e takeout. O governo mandou fechar as fronteiras, de forma que, entra-se no país somente se for cidadão ou conseguir comprovar residência.

Na sexta-feira, fim da tarde, fui chamada para pegar um notebook no escritório para que pudesse trabalhar de casa.  Havia tirado férias desde quarta para evitar exposição. Na ida ao escritório, de uber, observei o pouco movimento de carros e os ônibus quase vazios na hora do rush. Perto do escritório, pessoas saindo carregando monitores. As salas de TI e almoxarifado estavam em intenso trabalho para prover equipamento para os funcionários trabalharem remotamente. Os elevadores nunca estiveram tão limpos, sem uma marca de dedo. Os banheiros, impecáveis.

Os únicos aviões deixando a Polônia são os de resgate, com estrangeiros voltando aos seus países de origem. No Top 10 no Netflix está a série-documentário “Pandemic – How to Prevent an Outbreak”. O dia hoje estava lindo, ensolorado, mas as ruas e praças de Cracóvia estavam desertas.

Publicado em
Categorizado como Variados

Por Lu

Uma pessoa incomodativa.

1 comentário

Deixar um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s